Asaprev apoia greve dos servidores da Previdência Social

marcos manifestacao
José Carlos Bispo, Marcos Barroso, Edvaldo Santa Rita e Ricardo Sampaio

O Sindprev Bahia realizou na última sexta-feira (06), no centro da cidade, uma manifestação contra os projetos para a Previdência Social apresentados pelo Governo Federal. A caminhada partiu da sede do INSS, nas Mercês e teve como ponto de chegada a Praça Castro Alves. De acordo com a organização do evento cerca de duas mil pessoas participaram da marcha, dentre elas servidores, aposentados e pensionistas.

Conforme o coordenador do Sindprev, Edvaldo Santa Rita, a greve dos servidores, que já dura mais de um mês, possui uma pauta econômica e social. Pois além das reivindicações de aumento de salário, os servidores estão pedindo melhorias nas condições de trabalho.

Na pauta de reivindicações dos servidores federais estão: transferência da data-base para primeiro de maio; índice linear de aumento de 27,3%; incorporação das gratificações ao salário; paridade salarial entre ativos, aposentados e pensionistas; redução da carga horária de 40 para 30 horas e realização de concurso público.

“Hoje a Previdência Social possui 44 mil servidores em todo o Brasil. Destes, 17 mil estão na condição de aposentáveis. Precisamos que o Governo Federal realize concurso público com urgência para que a população tenha acesso a um serviço de qualidade e consequentemente mais agilidade no acesso ao benefício”, declara Santa Rita.

“Os aposentados se mobilizaram prestando sua solidariedade aos servidores do INSS, ao tempo em que esperam também contar com o mesmo espírito de solidariedade dos servidores, no que se refere às reivindicações dos mais de 30 milhões de aposentados no País”, afirma Marcos Barroso, presidente da Casa do Aposentado (Asaprev-BA).

O servidor Ricardo Sampaio, responsável pelo comando de greve, afirma que está é uma manifestação que tem como propósito e busca pela dignidade. “Esta é uma greve que busca sobretudo dignidade para os servidores. Nós temos aqui hoje mais de duas mil pessoas, vestidas de preto, em luto devido ao sucateamento do INSS. Sofremos com a falta de materiais básicos. Estamos sem nenhuma condição de realizar um bom atendimento”, protesta Sampaio.

O vice-presidente da FEASAPEB, José Carlos Bispo da Silva, disse que a instituição apoia a greve dos servidores. De acordo com ele, as propostas do Governo Federal e os constantes cortes de verbas vão acabar levando a privatização do INSS, o que seria muito prejudicial para toda a população.