CNPS estuda novas regras para empréstimo consignado

14/10/2011

Estão adiantadas as negociações para reformular as regras de concessão do empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do INSS. Representantes das entidades de aposentados, dos bancos e do governo vão decidir quais mudanças serão adotadas ainda neste ano para evitar fraudes nos bancos, golpes contra aposentados e o endividamento. Todavia, a taxa máxima de juros, de no máximo 2,34% ao mês para o empréstimo e de 3,36% para as operações de financiamento com cartão de crédito, deve continuar igual. As propostas estão em discussão no CNPS (Conselho Nacional da Previdência Social), que tem reunião marcada para o dia 25 próximo, e no grupo de trabalho instituído em 2005 pelo Ministério da Previdência para apresentar propostas para o empréstimo consignado. O grupo de trabalho já se reuniu três vezes neste ano. Opiniões divergentes – “O governo tem de criar mecanismos para proteger o aposentado e alertar contra o endividamento. Eu acho injusto que bancos que não fazem o crédito da aposentadoria possam fazer empréstimo consignado”, disse Josepha Britto, conselheira do CNPS representante da confederação dos aposentados. Os bancos, por sua vez, defendem a concorrência. “Limitar o número de instituições que oferecem o empréstimo é um erro. A disputa entre os bancos reduz as taxas”, disse Renato Oliva, presidente da ABBC (Associação Brasileira de Bancos). Aposentados e bancos concordam com o fim da ordem de pagamento para o empréstimo de quem não tem conta. Neste caso, a solução seria incluir o valor do empréstimo no benefício.

Frente Informa