Em audiência, Dr. Sinval Malheiros defende teleassistência a idoso

Parlamentares e debatedores defenderam a necessidade do uso do programa de teleassistência ao idoso previsto no Projeto de Lei 7179/14, durante audiência pública da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal. O programa consiste na instalação de um aparelho para comunicação de emergências na residência do idoso, conectado à linha telefônica e à rede de energia elétrica.

Para o médico e deputado Dr. Sinval Malheiros (PV-SP), a tecnologia prevista no projeto proporcionará uma maior segurança ao idoso e a sua família. “É importante que projetos de apoio ao idoso sejam implantados com facilidade. É uma segurança que se transmite a ele”, acrescentou o parlamentar.

Conforme o texto original, caberá ao Sistema Único de Assistência Social (Suas) cadastrar o idoso que optar pelo programa. A responsabilidade pela implantação e o gerenciamento do serviço será do serviço de assistência social dos municípios, dos estados e do Distrito Federal, com a participação do Ministério do Desenvolvimento Social.

“Poderão receber o benefício pessoas com 60 anos ou mais que preencham os seguintes critérios: tenha linha telefônica fixa, renda familiar de até dois salários mínimos e estejam cadastrados no SUS”, explicou Malheiros.

Funcionamento – No Brasil, há 26,1 milhões de pessoas acima de 60 anos, o que representa 13% da população, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013. No ano anterior, a parcela era de 12,6%. Entre 1992 e 2012, o número de idosos que vivem sozinhos triplicou, passando de 1,1 milhão para 3,7 milhões.

O serviço é simples, mas valioso. O usuário carrega uma pulseira ou colar a prova d’água e antialérgico, com um botão, pelo qual pode acionar a central de atendimento em situações de emergência. Um equipamento viva-voz também é instalado na linha telefônica da residência do cliente.

Quando chamado, o teleoperador da central entra em contato e tenta resolver a situação remotamente, se for possível. Parentes e vizinhos cadastrados no sistema são avisados para socorrer o idoso. Caso a ocorrência seja grave, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) é acionado.

Fonte: FEASAPEB – http://www.feasapeb.com.br