Guardas-civis, seguranças e autônomos entram na nova aposentadoria especial

Vigilantes armados ou desarmados, transportadores de valores, guardas-civis municipais, eletricitários, mineradores e trabalhadores expostos a materiais explosivos e armamento terão suas aposentadorias antecipadas após a reforma da Previdência.

As atividades com risco à vida serão incluídas nas novas regras de aposentadoria especial por meio de um projeto de lei complementar do governo apresentado pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM), que assina a proposta.

Com a reforma da Previdência, para a concessão de aposentadorias especiais os trabalhadores precisarão de idade mínima de 55, 58 ou 60 anos, variando de acordo com a gravidade do setor.

Na regra de transição, além do tempo mínimo de contribuição, os segurados precisarão ter, na soma com a idade, 66, 76 e 86 pontos, respectivamente. A regra de pontos não tem idade mínima, mas vai obrigar esses trabalhadores a ficarem na ativa por mais tempo.

 

ENTENDA AS DIFERENÇAS ENTRE PERICULOSIDADE E INSALUBRIDADE

Periculosidade

A atividade expõe o trabalhador ao risco de morrer

Exemplos de setores de classificação perigosa:

Eletricitários

Fabricação de produtos incendiários, tóxicos ou explosivos

Operações industriais com poeiras tóxicas de carvão, cimento e amianto

Furação, corte e carregamento em subsolo

Atividade de caça e pesca

Escavação de poços, túneis e galerias

Vigilantes e guardas armados ou não

 

Insalubridade

A atividade prejudica a saúde do trabalhador

Exemplos de trabalhos de classificação insalubre:

Operadores de raio-X

Operadores de britadeiras

Trabalhadores da indústria química

Médicos, dentistas, profissionais da enfermagem

Operários de construção e reparos navais

Pintores de pistola

Operadores de câmaras frigoríficas

Fonte: www.mixvale.com.br