O fim da Defasagem agora depende de nós

* Celso Pacheco

A grande luta dos aposentados e pensionistas nas últimas décadas tem sido pleitear a concessão do mesmo reajuste do salário mínimo para quem ganhava ou ainda ganha acima do mínimo a fim de interromper a malfada defasagem de sés benefícios.

Não são poucos os casos que os aposentados ganhavam o teto de dez salários mínimos na época da sua concessão e agora ganham só três, ou até menos e encaminham para receber o mínimo. Outros milhares, quiçá milhões, que recebiam acima do mínimo quando aposentaram-se, hoje recebem só o mínimo.

Assim, a aprovação na Câmara Federal e no Senado do mesmo reajuste do mínimo para os benefícios é, sem dúvida, mais uma grande vitória do movimento dos aposentados.

Verdade seja dita que o Senador Paulo Paim, PT/RS e o Deputado Federal, Arnaldo Faria de Sá, PTB/SP fizeram a sua parte e agora resta a nós, interessados no reajuste igual, fazermos a nossa. Eles tiveram que enfrentar os colegas, sofrer pressões, ouvir ofensas, mas não desistiram do seu propósito. Os aposentados e as pensionistas, capitaneados pela Diretoria da COBAP, Presidentes das Federações e Associações, estavam lá, no plenário, também fazendo pressão.

O líder do Governo já anunciou que a Presidente deve vetar o reajuste igual. Novamente a justificativa e o déficit da Previdência, que geraria o tal rombo bilionário, o que é amplamente contestado e, pelo contrário, comprovado o superávit da Previdência, pelo Economista da COBAP, Dr. Maurício Oliveira, corroborado pelos dados estatísticos apurados pela ANFIP – Associação Nacional dos Fiscais da Previdência.

Agora então, resta a nós, trabalhadores da ativa que serão os aposentados de amanhã e aos já aposentados e as pensionistas, desmistificarmos o déficit e, ao mesmo tempo, fazermos pressão para que a Presidente não vete o reajuste igual para o salário mínimo e benefícios acima do mínimo e, se vetar, que o veto seja derrubado

A história nos mostra que é difícil de derrubar o veto, mas como diz o ditado, “sempre há a primeira vez para tudo”.

O Vice Presidente da COBAP, Moacir Meirelles, num ato de indignação com a postura do seu partido, o PDT, que recomendou a votação contra os aposentados, rasgou a sua ficha de filiação partidária e pediu a sua desfiliação.

A COBAP já lançou a campanha virtual NÃO VETA DILMA, para que participemos da campanha e ainda façamos o convite para nossos amigos.

Então, a partir de agora, como os políticos, nem todos é claro, já fizeram a sua parte, resta a nós, os interessados, em fazermos a nossa.

 

Celso Pacheco

Advogado e Economista

Sócio da Dornelles & Lanzarini Advogados

 

Fonte: COBAP  – http://www.cobap.org.br/